Lobos

“Os lobos enxergam duas vezes mais que os homens, e são capazes de prever nossa próxima ação.”
- Ditado Popular

Os Lobos

Ser um membro integrante, respeitado e amado de um grupo social organizado é a coisa mais importante na vida de um lobo. Eles vivem para o grupo.

Desde os primórdios, nossos ancestrais pintavam lobos nas paredes das cavernas, e escolhiam-no como símbolo para sua tribo.

O lobo representa o lado selvagem e indomado da vida mais do que qualquer outro animal. No fundo de nosso âmago, nós seres humanos desejamos ser como eles.

Nossos ancestrais viviam da colheita e da caça, vivendo harmonicamente com os lobos e outros animais ditos selvagens. Já nos dias de hoje, com o “avanço” da humanidade e de suas tecnologias, podemos ter sucesso na nossa vida profissional e consequentemente sucesso material, mas enquanto isso, a nossa unidade familiar se deteriora dia a dia, fazendo com que busquemos um entendimento de quem somos, e procurando entender a nossa relação com a natureza. Já os lobos sabem quem eles são. Eles existem uns para os outros.

Durante séculos, homens e lobos coexistiram, respeitando-se mutuamente ao invés de terem medo. Cada um respeitava a organização social e a habilidade de caça do outro. Foram parceiros na manutenção do equilíbrio da Mãe Terra, compreendendo que faziam parte da natureza mais do que a natureza fazia parte deles.

Até hoje não sabemos se foi por inveja, por medo ou ignorância, mas de uma hora para outra, o homem achou que era superior ao Lobo e começou a exterminá-los.

Em número pequenas poucas alcatéias sobreviveram a todas intempéries, protegendo sua estrutura social e organização familiar.

Nos dias de hoje, existem uma consciência ecológica crescente que ainda temos algo a aprender com nossos Irmãos Lobos. Com o auxílio de Fundações e Organizações, os lobos estão ressurgindo por todo mundo. É incrível, mas podemos observar que nos nossos dias, a ordem social do homem parece estar em decadência enquanto a do lobo permanece intacta.

Nos vivemos desorientados, sem equilíbrio físico, mental e emocional numa sociedade turbulenta cheia de violência, divórcio, desemprego, hiper-população, fusões de empresas, enquanto os lobos continuam com o mesmo modelo brincalhão, participativo, eficiente e de união.

O mesmo ocorre com nosso sistema de Socialização que declina diariamente, já os lobos, colocam a educação, a proteção, a tutela e o aconselhamento dos mais jovens como prioridade. De algum jeito, eles sabem que o seu futuro depende de sua cria e agem de acordo com esse princípio.

Ordem Social

A ordem social dos lobos é muito evoluída, com um macho e fêmea alfa como líderes, um macho e uma fêmea beta como os segundos no comando, usualmente um omega no escalão mais baixo. O macho alfa tem força, habilidade para caça, facilidade para tomar decisões, personalidade marcante e muita bravura. É literalmente o líder do grupo. A fêmea alfa atua como sua companheira e como vice-líder da alcatéia. Sua personalidade é semelhante à do macho alfa. A sobrevivência do grupo depende da sabedoria, julgamento e liderança deles.

O macho e a fêmea alfa demonstram sua autoridade, jamais permitem que outros lobos “saiam de seus lugares”. O macho alfa geralmente se concentra em manter os outros machos na linha, enquanto cabe à fêmea alfa dominar as outras fêmeas. O macho alfa frequentemente demonstra seu domínio rosnado, mordendo, perseguindo, dilacerando, ou descansando sobre outros lobos. Essa “lições” são entendidas pelos demais membros do grupo.

O lobo omega é o bode expiatório do grupo. Come por último, leva a culpa por tudo que não dá certo e é geralmente um alvo fácil para se atormentar. Enquanto os lobos alfa transmitem eficazmente sua autoridade, o lobo omega é um exemplo de submissão quando deita de costas com o estômago em posição vulnerável, ou quando caminha com a cauda entre as pernas. Todos os outros lobos o molestam.

A hierarquia dos lobos na alcatéia pode, com frequência, ser determinada pela posição que estes mantêm suas caudas. As caudas dos lobos alfas ficam levantadas. Os lobos médios mantêm posição baixa. Os lobos omega, como determina seus status, mantêm as caudas entre as pernas.

Muitos rosnados, resmungos, estrépitos, guinadas, arregaçares assustadores de focinhos acompanham a alcatéia, porém brigas sérias são muito raras. Eles mostram os limites do seu território marcado-o e uivando. Preferem a comunicação pacífica em vez da guerra.

Necessitamos dos lobos para nossa saúde espiritual. Lobos são a síntese da beleza, dignidade e inteligência. São espertos e duros e podem competir com qualquer coisa no mundo, exceto com armas, veneno e armadilhas; ou seja; o homem. Sua família nunca fica em segundo plano. Lobos são devotados às suas famílias e mostram grande sensibilidade em relação às necessidades de seus membros. Lobos são extremamente leais e esbanjam afeição a seus companheiros de grupo. Sua estrutura é complexa e bonita.

Aprendendo com os Lobos

Felizmente nos dias de hoje, estamos começando a ver os lobos como os nativos americanos, que o respeitavam por sua coragem, inteligência e imensa habilidade. Os xamãs muitas vezes vestem-se com capuz e pele de lobos resgatando a magia desse animal entram em seus corpos e mentes, de modo que possam adquirir perícia e habilidade. Nós sabemos que as lições que os lobos nos ensinam podem guiar nosso comportamento para com os outros e a vida.

Quando estão caçando, os lobos viajam em fila indiana. Quando o lobo alfa gasta maior energia. Ele vai abrindo caminho permitindo que os outros economizem suas energias. Quando ele se cansa, o líder sai da frente deixando que o lobo seguinte assuma a liderança. O alfa poderá agora seguir a trilha deixada pelos outros, trabalhando menos e recuperando as forças para os próximos revezamentos.

Todos na alcatéia têm seu papel, e o assumem visando o bem-estar geral. Muitos deles assumem o papel de babá, quando a mãe dos filhotes se ausenta em caçadas ou longos passeios. A maioria dos membros não pretende exercer a liderança, preferem ser caçadores ou vigias.

Desde pequenos os filhotes são treinados visando assumir sua posição de liderança no grupo. Como se sua vida e a da alcatéia dependessem disto. Eles aprendem se divertindo.

Muitas canções e lendas contam as incríveis habilidades do lobo. O sucesso do lobo em suas jornadas é devido à observação, a simplicidade de propósito, o trabalho em equipe, a curiosidade, serem detalhistas e principalmente a sua paciência.

O som dos lobos uivando é misterioso, triste, bonito e aterrorizador. Quem já teve a oportunidade de ouvir esse coro se sentiram maravilhados e ao mesmo tempo com medo. A melodia das vozes nos dá a impressão que estamos rodeados por uma grande quantidade de lobos.

Geralmente nesse momento em que escutamos o coro da alcatéia, só existem no máximo o número de oito lobos uivando juntos. Como nós, cada lobo tem a sua individualidade e tem o cuidado em não imitar os outros. Cada lobo na alcatéia assume o seu tom na sinfonia, procurando não imitar o outro, respeitando assim a singularidade de cada um.

Esse respeito pela individualidade enfatiza a verdadeira unidade da alcatéia. Eles são um todo, mas suas individualidades contribuem para o desenvolvimento da organização da alcatéia. Cada um tem sua própria voz, e ela é respeitada pelo demais. No nosso Clã exercemos este direito quando estamos com o Bastão Falante “Talking Stick”.

Até hoje não se sabe exatamente porque os lobos uivam, só se sabe que eles foram abençoados com um talento que atravessa gerações, aperfeiçoando-se diariamente. Parafraseando Ernest Hemingway “Por quem os Lobos uivam? Eles uivam por nós Filhos da Mãe Terra.”

Os lobos têm uma hierarquia social muito rígida, em que cada membro da alcatéia tem uma função. Ao vermos os lobos comendo, observamos algumas lamúrias, reverências e afagos de acordo com a posição social de cada lobo. Já quando eles estão uivando juntos, todas a barreiras se rompem, como se eles falassem: “Somos únicos, mas somos um todo.” É uma mensagem bem clara para todos aqueles que escutam os uivos dos Lobos.

No nosso Clã, procuramos ressaltar as peculariedades individuais de cada membro. Cada um assume a sua responsabilidade dentro do Clã empregando seus esforços e dons. Exprimindo a individualidade de cada um, respeitando e encorajando nossa individualidade, o nosso círculo é fortalecido diariamente.

A Mãe Terra é alvo diariamente da curiosidade e admiração por parte dos lobos. Cada nova descoberta proporciona encantamento e surpresa. É assim que nós agimos também quando estudamos as manifestações da natureza no nosso caminho no Xamanismo. Para nós a curiosidade alimenta a criatividade, por isso sempre estamos aprofundando nossos estudos, visando o despertar de um novo Ser, através de práticas xamânicas e debates.

Os lobos utilizam diversas formas de comunicação. Uivam, usam a linguagem corporal, caudas levantadas ou abaixadas, olhos, expressões faciais e assumem uma postura submissa ou dominante para transmitir suas mensagens.

Seu olhar é o meio de comunicação mais usado, é através do tamanho das suas pupilas que eles expressam alegria, medo, surpresa entre outras emoções.

Em sua vida cotidiana os lobos vivem enfrentando situações entre a vida e a morte; tais quais os xamãs; nesses momentos, a comunicação é vital para a sobrevivência do grupo. O poder de observação deles é tão apurado que com um olhar ele conseguem captar a mais sutil mudança de comportamento em cada um de seus companheiros.

Devido a sua habilidade de comunicar-se, raramente um lobo luta com outro até a morte. Será que nós homens não temos muito o que aprender com o sistema de comunicações dos lobos?

Antes da ocupação dos homens, os lobos eram os animais que ocupavam as maiores áreas do mundo. Apesar da destruição de seu habitat pela mão humana, eles ainda perseveram, perambulando pelas partes mais remotas do planeta. Eles são animas que não desejam serem alimentados pelo homem. Desejam ficarem sozinhos e viver da forma que o Grande Espírito determinou que vivessem. Infelizmente, essa determinação dos lobos de preservarem sua ordem social e estilo de vida fizeram com que quase fossem extintos da Mãe Terra. Mas, embora necessitem nos dias de hoje de se se adaptarem a clima inóspitos e solos áridos, eles perseveram obstinadamente em seu jeito de viver.

Os lobos Omega são um exemplo desta perseverança obstinação em sobreviver. Às vezes, chega a dar pena ao ver um Omega sendo maltratado desde pequeno, deixando-o sempre em último plano, principalmente na hora de alimentar-se.

Porém, algumas vezes um fenômeno emerge desse comportamento. Os lobos Omega, quando sobrevivem, tendem a tornar-se bons lutadores, até chegar o ponto em que passam a revidar à altura. Não é raro que alguns desses lobos Omega consigam sobreviver aventurando-se por conta própria, tornando-se os míticos “lobos solitários” por certo tempo. Eventualmente eles se juntam a outra alcatéia, ou têm o prazer de encontrar uma companheira e começam a formar seu próprio núcleo lupino.

Qualquer que seja o caso, o resultado de sua perseverança é positiva para o mundo dos lobos. Juntando-se a uma nova alcatéia, injetam sangue novo no grupo, amenizando alguns efeitos hereditários. Caso torne-se líder Alfa de sua alcatéia, os membros delas terão um líder que enfrentou e venceu grandes desafios.

Os lobos quando estão caçando, parecem estar seguindo um rebanho despreocupadamente durante dias. De repente, o líder olha para os membros de sua alcatéia, e os aparentemente letárgicos lobos entram em ação como uma equipe bem coordenada, sendo que cada membro conhecia a estratégia que seria empregada e a parte que cada um deveriam realizar.

Vejam, que anteriormente falamos em se divertir. Essa é uma atividade realizada cotidianamente pelos lobos desde pequenos. Em suas brincadeiras, podemos notar que os filhotes agem desinibidamente. Os lobos são animais sociáveis que fortalecem pelo contato físico. Brincando eles aprimoram suas habilidades de caça, comunicação e união.

Suas brincadeiras, porém, servem a outros propósitos. São uns métodos práticos utilizados para estabelecer e assegurar constantemente a alimentação da alcatéia. Brincando, eles aprendem como conseguir comida. Tornam-se fisicamente mais fortes e mentalmente mais resistentes. Ou seja, para o lobo, divertir-se não é verdadeiramente uma brincadeira, e sim mais uma lição.

A alcatéia caça, se diverte e auxilia, em conjunta na educação dos filhotes. Todas essas atividades servem para reforçar as tradições e organização social do grupo. Os jovens respeitam as peculiaridades que os mais velhos possuem, e esses incentivam esses mesmos dons nos mais jovens. A morte de um ancião, embora triste, não é prejudicial ao grupo, pois os lobos mais jovens foram bem preparados.

Os lobos são animais super perspicazes, quando estão caçando eles respeitam a lei da sobrevivência, no qual só os mais fortes sobrevivem. Já os homens não querem saber disso, preferem matar os mais fortes e maiores, em vez de abater os doentes e fracos para que haja uma melhoria da raça e não enfraquecê-la. No entanto, é isso que os lobos fazem. Estranho, será que para sermos mais racionais teremos que ser como o lobo que é considerado um animal dito primitivo?

Nenhum mamífero demonstra maior devoção a sua família do que o lobo. Todos membros da alcatéia caçam juntos para assegurar a sobrevivência do grupo e também se divertem juntos, uivam, dormem e protegem uns aos outros. O propósito da existência do grupo é assegurar a sobrevivência da alcatéia.

Uma alcatéia é formada de pais, tios, tias, irmãos, irmãs, meio-irmãos e meia-irmãs, sendo realmente uma organização familiar. Geralmente, só os Alfas se acasalam e têm filhotes, mas todos os membros da família assumem responsabilidades pela alimentação, treinamento, abrigo e brincadeiras com os filhotes, pois o grupo tem consciência de que os jovens são o futuro da alcatéia.

A habilidade dos lobos em se adaptar a mudanças é a razão principal pela qual eles, juntamente com os homens, estão entre os mais bem sucedidos e duráveis mamíferos do mundo. Os lobos parecem praticar um controle da natalidade, aumentando ou diminuindo sua reprodução em relação à disponibilidade de espaço e de presas. Enquanto ignoramos que a população mundial está saindo do controle, os lobos continuam a viver em harmonia com a Mãe Terra.

Conclusão

Pesquisadores do mundo inteiro, ao explorarem as cavernas pré-históricas, ficaram emocionados ao verem as pinturas dentro das cavernas. Os povos primitivos gostavam muito de retratarem animais que encontravam nas florestas. Um dos animais mais retratados são os lobos.

Até hoje não se sabe o porque de os animais serem mais pintados do que o próprio homem. Será porque os homens os viam como irmãos que habitavam o mesmo mundo? Havia muito a aprender com animais, que sabiam como enfrentar o frio e sobreviver em ambiente hostil. Será que eles achavam os animais mais interessantes do que eles próprios?

Nossos Ancestrais não viam os animais como inferiores, viam-nos como companheiros de jornada e filhos da Mãe Terra. Os lobos eram respeitados pela sua sabedoria e por outros dons especiais, que a cada novo dia estão sendo descobertos pela a humanidade. Como diz o velho ditado Lakota: “Mitakue Oyasin” Somos Todos Irmãos!

Creative Commons License xamanismo.com - Clã Lobos do Cerrado - Esta obra é licenciada por uma licença:
Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil.